Uma guerra nuclear está por vir?

A madrugada sangrenta na Ucrânia neste 9º dia da brutal guerra promovida pelo insano Vladimir Putin foi uma das mais tensas na Europa, após os russos terem bombardeado a usina nuclear de Zaporizhazhia, ao Sul do país ocupado covardemente. Essa usina nuclear é a maior da Europa e fornece energia elétrica para grande parte do país e o que mais a todos deixou apreensivos é quanto à gravidade desse ataque com bombas russas. Estivemos perto de uma tragédia nuclear sem precedentes.



Essa unidade nuclear, com seis reatores, foi bombardeada, incendiada e um reator foi atingido. Embora ela seja destinada ao consumo de eletricidade, tem grande potencial nuclear. A pergunta que fica é: vazou alguma substância de radioatividade suficiente para contaminar a Ucrânia, os europeus e o próprio território russo, bem perto dali?


O ataque a reatores nucleares poderá levar a uma reação do mundo desenvolvido ou da Otan às ofensivas criminosas de Putin? O secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg, assegurou na manhã desta sexta-feira que a Otan (30 países, incluindo os EUA, Inglaterra, Alemanha e as maiores potências mundiais, menos a Rússia, claro), não vai entrar na guerra. Mas fez uma advertência: dias piores virão. Segundo ele, ainda ocorrerão mais mortes, sofrimento e destruição.


Essas são praticamente as mesmas palavras do presidente francês, Emmanuel Macron. “Dias piores virão”, disse ele, após uma conversa de 90 minutos, ontem, por telefone, com o presidente amalucado Putin. Isso significa dizer que o russo não vai desistir tão cedo de massacrar o povo pacífico da Ucrânia e destruir todo o país, que tem construções milenares, algumas construídas durante a idade média.


Pior: Putin está acabando com a vida em um dos maiores países europeus. Um sanguinário que deseja ser discípulo de Stalin, o líder soviético que matou mais de 50 milhões de russos quando esteve no poder na antiga União Soviética e hoje Rússia, no começou do século passado. Ele tem que ser parado, preso e levado ao Tribunal Internacional de Haia pelos crimes de guerra que está cometendo, inclusive com a ameaça de dar início a uma grande guerra nuclear. Aliás, uma terceira guerra mundial que começará e terminará em poucos segundos.


É como diz o secretário-geral da Otan. “Essa é a guerra do presidente Putin. Uma guerra que ele escolheu, planejou e está se colocando contra um país pacífico. Nós pedimos ao presidente Putin que pare essa guerra imediatamente. Pedimos que retire todas as forças da Ucrânia e participe da diplomacia genuína a partir de agora”, disse agora há pouco Stoltenberg. O problema é pedir bom senso a Putin, um autocrata cego por poder e para se perpetuar no poder eternamente na Rússia é capaz de dizimar milhões de irmãos ucranianos. Que Deus nos livre de uma guerra nuclear, pois nossos filhos merecem viver num mundo melhor.