Prefeitos do Nortão querem assumir controle da BR-163 e farão movimento este mês

A necessidade urgente da realização de serviços de manutenção e da duplicação da BR-163 foram discutidas mais uma vez nesta manhã em reunião do Consórcio Intermunicipal de Desenvolvimento Econômico Social e Ambiental (Cidesa). Presidente do Cidesa, o prefeito de Sorriso, Ari Lafin, destacou que os 15 prefeitos discutiram a Carta Aberta em prol da 163 e a assinaram. A intenção, conforme Ari, é entregar cópia do documento ainda nesta quarta-feira ao governador Mauro Mendes que cumprirá agenda em Sinop. O documento também será encaminhado ao Governo Federal.



“O Cidesa se propõe a assumir a responsabilidade sobre a BR-163. Para isso, além da união entre os 15 municípios, estamos trabalhando em parceria com entidades organizadas, produtores rurais e a iniciativa privada”, explica Ari. O prefeito frisa que partes do trecho em questão da 163 foram construídos ainda na década de 70 e outros nos anos 80 – 20 de outubro de 1.976 é a data da inauguração em terras mato-grossenses. Diariamente, passam pela rodovia 70 mil veículos, 70% deles são de carga, segundo dados da atual administradora da via.


Vice-presidente do Cidesa, o prefeito de Lucas do Rio Verde, Miguel Vaz, lembra que o trecho que vai de Sinop ao Posto do Gil apresenta um grande tráfego e precisa urgente de reparos. Segundo o acordo inicial, até 2019, a empresa deveria ter concluído a duplicação em 336 quilômetros da rodovia federal, o que não ocorreu.


No início de 2021, a concessionária que atualmente administra a rodovia protocolou um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) junto à Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) comunicando a saída da administração e a vinda de um novo investidor para assumir o controle da concessão da BR-163/MT. O documento previa ainda a retomada das obras, a partir de 2022, ação atrasada com relação ao contrato firmado pela concessionária quando recebeu a concessão.


O presidente da Comissão de Logística do Cidesa, o prefeito de Sinop, Roberto Dorner, pontua que uma das alternativas seria o repasse dos recursos federais ao Consórcio para a administração da rodovia. “Estamos diante de um quadro de dor e perdas que pode ser explicado por momentos de imprudência ao volante aliados às péssimas condições da BR”, diz.


Segundo a coordenação do Cidesa, autoridades dos 15 municípios apoiam o movimento em prol da BR 163 que será realizado no dia 17 de março, das 15 às 17 horas, às margens da 163. A meta é chamar a atenção para as péssimas condições de trafegabilidade da BR-163 no trecho que liga o Posto Gil ao município de Santarém (PA). Um levantamento realizado pelas lideranças do movimento aponta que somente nos últimos cinco anos o trecho entre Cuiabá a Sinop foi palco de mais de 800 mortes.


Em Sorriso, o movimento em prol da BR 163 é organizado pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), subseção Sorriso – o presidente da OAB Sorriso, Fernando Mascarello, é o coordenador da comissão; em parceria com representantes da Associação Comercial de Sorriso (ACES), Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL), Sindicato Rural e Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja). A intenção é somar forças com a Frente Parlamentar de Vereadores MT/PA, o próprio Consórcio Intermunicipal de Desenvolvimento Econômico Social e Ambiental (Cidesa), União Nacional dos Caminhoneiros e Assembleia Legislativa do Estado na busca de soluções em prol da 163.


Além de debater as necessidades urgentes da 163, a reunião também versou sobre a necessidade de descentralização dos serviços da Secretaria de Estado de Meio Ambiente. De acordo com Ari, essa também é uma necessidade urgente de todos os municípios da região e que será levado ao Estado. “Precisamos desburocratizar questões ambientais e debater com urgência questões fundiárias que são pertinentes à toda a região”, diz. “Vamos levar todas essas situações para discussão com o governo do Estado”, completa.


Redação Só Notícias (foto: assessoria)