Pecuaristas em Mato Grosso retém gado no pasto mas atividades frigoríficas não têm impacto negativo

A utilização da capacidade frigorífica real no Estado no abate de gado e em operação aumentaram em Mato Grosso mesmo

diante de um menor volume de animais enviados ao abate em janeiro, constata o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (IMEA), no boletim semanal da pecuária.



O clima propício para a engorda dos animais a pasto aumentou a retenção do gado e influenciou no recuo da oferta de bovinos ao abate no Estado. Houve queda de 4,17% e o total de bovinos abatidos foi de 418,70 mil animais em Mato Grosso.


“No entanto, a utilização real e a em operação apresentaram aumento de 6,10 pontos percentuais e 5,02 pontos percentuais

respectivamente, ante a dezembro passado, uma vez que alguns frigoríficos de maiores capacidades entraram em período de férias coletivas ou em manutenção o que afunilou as opções dos produtores. Nos próximos dias, a tendência é de que esse panorama permaneça, visto que na 1ª quinzena novas plantas entraram em recesso”, conclui o instituto.


Só Notícias (foto: arquivo/assessoria)