Instituto prevê produtividade de 58 sacas de soja por hectare em Mato Grosso

O Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (IMEA) informou que, por contas das chuvas regulares para a janela da soja favoreceu o adiantamento da semeadura e, consequentemente, a safra 2021/22 pode ter a colheita mais adiantada da história.



“Com isso, apesar dos relatos pontuais de pragas e doenças que ocorreram pela falta de luz e excesso de umidade em algumas regiões, as lavouras de soja têm estabelecido um padrão de qualidade promissor, expressando seu potencial tecnológico. Tendo em vista este cenário, é estimada uma produtividade de 58,56 saca/hectare no atual ciclo, alta de 1,91% ante a safra 2020/21”, analisa o instituto.


Além disso, houve um ajuste mensal de 0,14% na projeção de área, que totalizou 10,86 milhões de hectares e, com

isso, a produção ficou estimada em 38,14 milhões de toneladas, a maior da série histórica. Assim, para que o cenário acima se confirme, a expectativa é de que o clima continue contribuindo para o bom desenvolvimento das lavouras em Mato Grosso.