Equipe técnica vistoria 740 km de traçado da primeira ferrovia estadual ligando Rondonópolis a Lucas

O traçado da primeira Ferrovia estadual de Mato Grosso foi percorrido por técnicos da secretaria estadual de Meio Ambiente como parte da análise do processo de licenciamento ambiental do empreendimento. O trajeto tem 740 km de extensão, e ligará Rondonópolis a Cuiabá, Nova Mutum e Lucas do Rio Verde. Foram conferidos os pontos de mais atenção na análise ambiental, locais onde serão construidas pontes e túneis, conferência de distância de assentamentos, nascentes, cavernas, a região de Serra de São Vicente, e o terminal Malha Norte, localizado em Rondonópolis.



Os técnicos foram conhecer a realidade local e o contexto do traçado escolhido pela empresa vencedora do chamamento público e que investirá R$ 12 bilhões para fazer a ferrovia, e oo trecho até Cuiabá deve ficar pronto até 2026 e até Lucas em 2028. “É uma aferição das características do local por onde vai passar a ferrovia, para dar segurança para a análise técnica que será feita para a emissão da Licença Prévia do empreendimento”, explica o superintendente de Infraestrutura, Mineração e Serviços, Valmi Lima.


O engenheiro ambiental Otavio Rodrigues Mendes, explicou que 26 pontos foram vistoriados com o objetivo de conferir in loco as condições ambientais e as informações dos Estudos e Relatórios de Impacto Ambiental (EIA/RIMA) entregues pela empresa. “A aferição é uma das primeiras etapas do licenciamento, que antecede a análise do estudo e relatório. É uma atividade comum em qualquer licenciamento. São utilizados também drones para captar imagens aéreas em um extensão maior, e é feito o registro fotográfico com coordenadas geográficas para subsidiar os relatórios”, explica.


Oito técnicos da Sema – agrônomo, geólogo, biólogo, geógrafo, engenheiro ambiental, civil, sanitarista e florestal- também participaram da inspeção, além de especialistas da empresa que fará a obra.


Para implantar a ferrovia, a análise do licenciamento será trifásico para a emissão da Licença Prévia (LP), Licença de Instalação e Licença de Operação. Neste momento, a Sema avalia se há alguma necessidade de complementação ou pendências no processo, para que haja o complemento de informações pelo interessado. Quando a análise desta etapa for concluída, a Licença de Prévia será submetida ao Conselho Estadual de Meio Ambiente (Consema) para referendo, informa a assessoria.


Para subsidiar o processo, já foi realizada audiência pública híbrida – com transmissão ao vivo pela internet e participação presencial em nove cidades: Lucas do Rio Verde, Campo Verde, Santa Rita do Trivelato, Planalto da Serra, Jaciara, Nova Mutum, Rondonópolis e Primavera do Leste.


A construção da ferrovia conecta Mato Grosso à malha ferroviária nacional, em direção ao Porto de Santos (SP).


Só Notícias (foto: assessoria)