Custeio da soja em Mato Grosso fica ainda mais caro para produtores; fertilizantes são 47%

O Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária concluiu o mais recente levantamento e apontou que os fertilizantes representam 47% de todo o custeio do plantio da safra atual no Estado. O custo estimado ficou em R$ 4.639,19/hectare para a safra 2022/23.



“Com os altos custos estimados para a safra, é importante que o produtor esteja atento a relação de troca entre os preços dos fertilizantes e a cotação futura da saca da soja (contrato março de 2023). Esse cálculo auxilia o produtor no momento

da negociação do seu produto. Nesse sentido, a relação troca tem recuado desde o início de janeiro e atingiu seu

menor valor dos últimos cinco meses nas últimas semanas. Para se ter uma ideia, a relação troca entre os fertilizantes MAP, KCL e SSP, principais produtos utilizados na cultura, ficou estimada em 28,39, 26,12 e 13,12 sacas por tonelada, respectivamente”, apontam os analistas.


“Desse modo, a relação de troca na semana passada ficou mais favorável ao produtor ante ao fechamento de janeiro, uma vez que o preço dos fertilizantes vem registrando queda enquanto que a paridade exibiu valorização no mesmo período”, conclui o IMEA no boletim da soja desta semana.


Só Notícias (foto: Só Notícias/Lucas Torres/arquivo)