Conta de luz pode subir até 30% em 2022 diz estudo

O forte período de seca que o Brasil vive atualmente – o maior em 90 anos – tem impactado diretamente nas contas de luz. Segundo estimativas da TR Soluções, empresa de tecnologia aplicada ao Setor Elétrico, a falta de chuva deve causar uma alta de 19% nas contas de luz nos próximos meses. Desse total, 12 pontos percentuais são relativos à alta de custos relacionada à seca.



Devido a seca, o acionamento de usinas térmicas teve de ser feito em diversas regiões do país, para dar conta da demanda por energia. Essas usinas, entretanto, possuem custos maiores. Por isso, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) determinou a cobrança de uma taxa extra na conta de luz, a chamada bandeira tarifária.

O grande problema é que mesmo com o aumento das contas, com as bandeiras tarifárias, a arrecadação não tem suprido todos os custos. Por isso, segundo cálculos da TR Soluções, algumas regiões do país podem ter que lidar com uma alta de mais de 30% nas contas em 2022.


O reajuste acumulado para o consumidor, neste ano, já chega a 7%. Vale destacar que, no ano passado, não houve aplicação da bandeira tarifária, por causa da pandemia de Covid-19. Somente em 2021 a ANeel decidiu colocar em vigor as bandeiras tarifárias amarela, vermelha patamar 1 e vermelha patamar 2.


Apesar de ter ajudado nas contas, o aumento nas contas de luz deste ano não foram suficientes para recuperar as contas. Em setembro deste ano, o déficit nas contas de energia elétrica já era de R$ 9,87 bilhões, segundo dados da TR Soluções.