Bolsonaro diz em Cuiabá que pediu apoio a OMC para conter embargo a fertilizantes

O presidente Jair Bolsonaro afirmou, esta tarde, em Cuiabá, que pediu ajuda diplomática à Organização Mundial do Comércio (OMC) para conter o embargo de fertilizantes, durante encontro com a diretora-geral da OMC, a nigeriana Ngozi Okonjo-Iweala. “Aproveitei o momento, dado a importância dessa senhora, [para] pedir para ela que embargos de fertilizantes não ocorram no mundo todo, bem como esses fertilizantes não continuem aumentando de preço. Caso contrário, poderemos brevemente estar envolvidos na guerra mais cruel que se possa imaginar, a guerra da segurança alimentar”, afirmou Bolsonaro, durante o lançamento da Marcha para Jesus (que será em Julho), com o governador Mauro Mendes, senadores, deputados e pastores.



Os fertilizantes, especialmente nitrogênio, fósforo e potássio, são largamente usados pelo setor agrícola no país, sendo considerados essenciais para fornecimento de um ou mais nutrientes para as plantações. O Brasil consome 8% de toda a produção mundial de fertilizantes, avaliada em 55 milhões de toneladas, mas importa 85% do insumo usado pelo agronegócio, principalmente da Rússia, que sofre um forte embargo econômico promovido pelos Estados Unidos, países da Europa ocidental e Japão, por causa da invasão militar na Ucrânia.


“A gente pede a Deus sempre que nos dê esperança, que acalme os corações de quem quer que seja, para que a gente possa voltar à normalidade”, acrescentou o presidente, numa referência indireta à guerra na Ucrânia, que tem causado turbulências na economia mundial.


O presidente chegou por volta das 16h no aeroporto de Várzea Grande, houve motociata até o Grande Templo da Assembleia de Deus, em Cuiabá, onde participou da 45ª Assembleia Geral Ordinária da Convenção Geral das Assembleias de Deus e o lançamento da Marcha para Jesus.


Além das manifestações de apoio de milhares de mato-grossenses, o governador Mauro Mendes sinalizou, em discurso, que deve apoiar a reeleição de Bolsonaro.


Só Notícias com Agência Brasil