Alckmin como vice de Lula partiu de França e foi tratado com Haddad

Partiu de Márcio França a ideia de transformar o ex-governador Geraldo Alckmin em candidato a vice de Lula na eleição de 2022, movimento revelado pela colunista Monica Bergamo.

Haddad tratava a informação como um segredo, mas, certa vez, compartilhou a ideia durante uma conversa com o presidente do PT de São Paulo, Luiz Marinho, o ex-secretário Chico Macena e o ex-prefeito de Campinas Jonas Donizette, que é do PSB.



A proposta de França, portanto, surgiu depois do encontro que Alckmin teve com Lula, em julho, na casa do ex-secretário Gabriel Chalita. Haddad também esteve presente na reunião.


O interesse de França seria assumir a cabeça de chapa na disputa pelo governo de São Paulo com o apoio do PT. França entende que o movimento resolveria as duas eleições: daria a Lula uma porcentagem de votos no estado que poderia levá-lo a uma vitória nacional no primeiro turno e neutralizaria qualquer chance de o PSDB triunfar na eleição paulista.

No PSB, a ideia vem sendo tratada como improvável de sair do papel.


Interlocutores de Alckmin dizem que a proposta nunca foi apresentada ao ex-governador. Também afirmam que ele não teria interesse em aceitá-la nem em ser vice de ninguém.