A minha preocupação não é com acionista de Nova York.

Lula diz que, em vez de pagar dividendos, Petrobras (PETR4) deveria investir em refinarias; ações fecham em queda


“A minha preocupação não é com acionista de Nova York. A minha preocupação é com o povo brasileiro”, afirmou o ex-presidente

Em entrevista à Rádio Liberal, do Pará, nesta sexta-feira (28), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, pré-candidato à presidência pelo PT, voltou a falar sobre a Petrobras (PETR3;PETR4), com críticas à atual gestão da companhia.



“O problema da Petrobras é que ela está sendo desmontada”, disse o ex-presidente. “Nossas refinarias poderiam estar produzindo muito mais gasolina e não estão. Estamos com uma ociosidade por volta de 20 a 30%. E agora estamos importando gasolina dos Estados Unidos. Não temos que estar preocupados com o lucro. Por que em vez de pagar dividendos para acionistas a gente não investe em refinarias?”.


Ele ainda fez uma comparação entre a produção nacional e internacional: “o preço do barril de petróleo tirado do pré-sal hoje, a seis mil metros de profundidade, está um dólar a mais do que o petróleo da Arábia Saudita, que é tirado quase que da terra. Uma demonstração de que a Petrobras é uma extraordinária empresa, não só de petróleo, mas de tecnologia, de investimento, de pesquisa”.

Segundo o ex-presidente, “os combustíveis não podem continuar subordinados a preços internacionais”.


“A minha preocupação não é com acionista de Nova York. A minha preocupação é com o povo brasileiro. Se a gente não tivesse petróleo, tudo bem, mas a gente tem”, disse na entrevista.


“Nossas refinarias poderiam estar produzindo muito mais gasolina e não estão. Estamos com uma ociosidade por volta de 20 a 30%. E agora estamos importando gasolina dos Estados Unidos”, continuou. “Não temos que estar preocupados com o lucro. Por que ao invés de pagar dividendos para acionistas a gente não investe em refinarias?”.


Ele ainda afirmou que a presidência da República não pode brigar com governadores por ICMS e combustíveis.


“O ICMS é o único instrumento de arrecadação dos governadores. Só se governa esse país com uma boa relação com os governadores e com os prefeitos”, ressaltou. Em uma crítica direta ao presidente Jair Bolsonaro, apontou: “ele fala com muita desfaçatez que a culpa é dos governadores”.